Em comemoração aos 70 anos de Fórmula 1, separamos os 5 pilotos brasileiros mais talentosos, e mais inesquecíveis, que marcaram a história da F1!

Desde o começo, os brasileiros já marcavam presença. Foi no Grande Prêmio da Itália de 1951 que tudo começou, era o segundo ano da Fórmula 1. É no mínimo curioso como tudo aconteceu, o piloto e escuderia tinham o mesmo nome, Francisco Landi. Ele posicionou sua Ferrari particular na oitava fila do grid de Monza. O piloto tinha 44 anos e uma baita força de vontade. 

Porém houve um pequeno imprevisto: o câmbio não permitiu que ele terminasse a primeira volta, mas foi exatamente ali que começou a vitoriosa história dos brasileiros na maior categoria do automobilismo, e claro, de todo o planeta!

Os 5 brasileiros e suas marcas na Fórmula 1

Tudo bem, o Chico foi o primeiro brasileiro a participar da F1, porém alguns “caras” marcaram suas trajetórias com muitas vitórias! Não faremos muito suspense, não tem como…

Amamos tudo o que está relacionado ao automobilismo, mas o melhor disso tudo é poder compartilhar cada pedacinho dessa história com você… Você está preparado? Vamos lá!

Emerson Fittipaldi

Emerson Wojciechowska Fittipaldi, nosso grande Fittipaldi, nasceu em São Paulo no dia 12 de dezembro de 1946. Ele é um dos pilotos mais vitoriosos da história brasileira.

A sua corrida de estreia foi no Grande Prêmio da Grã-Bretanha, em Brands Hatch, mesmo largando nas últimas posições, terminou a prova em oitavo.

Emerson foi o primeiro brasileiro a se tornar campeão mundial de Fórmula 1, em categorias de ponta no automobilismo internacional, abrindo caminho para muitos brasileiros. Imagine o peso que ele tem dentro da F1, mundialmente? Que orgulho!

Fittipaldi foi bicampeão da Fórmula 1 em 1972 e 1974. Foi também campeão da Fórmula Indy em 1989 e bicampeão das 500 milhas de Indianápolis em 1989 e 1993. 

Você acredita que ele é o único piloto na história a vencer o mundial de F1 e as 500 Milhas por duas vezes? 

Também é um dos 4 pilotos que compõem o grupo de profissionais que encerraram suas carreiras sendo campeões da Fórmula Indy e da Fórmula 1.

Nós somos apaixonados pela trajetória do Emerson, e já podemos dar um spoiler de que, em breve, teremos histórias especialmente e especificamente sobre ele por aqui… 🙂

Mas enquanto isso, te convidamos a entender um pouco mais da história do carro amarelo da Copersucar Fittipaldi – A Escuderia dos irmãos Fittipaldi.

José Carlos Pace

José Pace estreou na Fórmula 1 em 1972, pela equipe Williams, com um carro da temporada anterior que pertencia à equipe March. Mesmo com um carro um pouco limitado, José marcou 3 pontos na sua primeira temporada. 

A sua primeira temporada, em 1972, foi difícil. O seu carro era mais fraco do que os outros carros concorrentes, mas mesmo assim, foram ótimos resultados conquistados naquela temporada. Dos pilotos da Williams, José Carlos Pace foi o único a pontuar aquele ano, em 6º lugar na Espanha e 5º lugar na Bélgica.

A Brabham queria o Pace, era a equipe onde ele poderia finalmente mostrar todo o seu potencial. No dia 19 de agosto de 1973, José Carlos Pace se tornou o segundo piloto brasileiro a subir ao pódio em uma corrida de Fórmula 1 – lembrando que o primeiro brasileiro foi Emerson Fittipaldi. Essa foi a primeira vez que Moco (como ele era chamado) participou de um pódio na F1. Pace foi o terceiro colocado no Grande Prêmio da Áustria. 

Como se não bastasse essa superação incrível, Pace foi além. No dia 26 de janeiro de 1975, José Carlos Pace conquistou sua única vitória na F1, com Emerson Fittipaldi na segunda posição – A famosa dobradinha!

Era para o grande piloto conquistar mais dois pódios ainda em 1975, porém, com vários problemas mecânicos em seu carro, foi obrigado a abandonar várias corridas e terminou o mundial em 6º lugar.

Venha saber ainda mais sobre José Carlos Pace, o grande piloto que consagrou com o seu nome o nosso Autódromo de Interlagos! 

Nelson Piquet

Nelson Piquet Souto Maior nasceu no dia 17 de agosto de 1952. Ele teve uma breve carreira no tênis antes de perder o interesse no esporte, e depois disso, entrou no kart como um hobby, escondido de seu pai. Mesmo em segredo, ele se tornou o campeão brasileiro de kart em 1971-1972 e venceu o campeonato de Fórmula Vê em 1976. 

Piquet foi para a Europa e obteve muito sucesso, teve o número recorde de vitórias na Fórmula 3 Britânica em 1978, derrotando o recorde histórico de Jackie Stewart, um grande piloto. No mesmo ano, ele fez sua estréia na Fórmula 1 com a equipe Ensign, McLaren, mas depois ele pilotou para a Brabham.

Em 1979, Piquet na Brabham foi vice-campeão em 1980, antes de ganhar o campeonato de 1981. Ele não disputou o título em 1982, porém em 1983, um segundo campeonato mundial foi conquistado.

Em 1986 a Williams o fisgou, foram muitas conquistas até aqui. Piquet participou do terceiro e último campeonato em 1987, durante uma batalha enorme com o companheiro de equipe Nigel Mansell.

Depois ele se mudou para Lotus, em 1988-1989, onde ele teve 3 pódios em 1988, terminando em 6º na temporada com 22 pontos e o 4º lugar como melhor resultado em 1989, terminando em 8º com 12 pontos. 

Nelson foi para a equipe Benetton. Em 1990-1991 ele conseguiu ganhar três corridas e aí veio a aposentadoria.

Após se aposentar da Fórmula 1, Nelsinho tentou correr as 500 Milhas de Indianápolis por dois anos, em 1992 e 1993, e também correu em carros esportivos como as 24 Horas de Le Mans em 1996 e 1997.

Sem dúvida ele merece estar na lista dos brasileiros que marcaram a história dos 70 anos de Fórmula 1!

Ayrton Senna “do nosso Brasil”!

Em 1960 no Estado de São Paulo, mais precisamente no dia 21 de Março, nascia um dos maiores e melhores pilotos do mundo inteiro… Claro que nós da Sid Special Paint somos suspeitos para falar, mas sabemos que você concorda. 🙂

No dia 25 de março de 1984, Ayrton Senna finalmente estreava na Fórmula 1, após todos os anos participando das competições de Kart, ele entrou com a equipe da Toleman, mas já falamos sobre este dia em uma série de artigos  sobre o grande piloto.

Entre 1981 e 1983, a equipe estava quebrada sem vencer nenhuma corrida e todos os pilotos que entravam nela acabavam saindo sem nenhuma explicação. 

Tudo isso mudou no ano de 1984 que foi o ano em que Senna começou a pilotar o carro branco com detalhes azuis da pequena equipe. 

Após a sua saída da Escuderia Toleman, Senna não teve descanso e foi diretamente para Lotus. O ano era 1985 e o seu parceiro era o piloto italiano Elio de Angelis.

No dia de sua estreia na equipe, Senna já estava acordado desde às 5 horas da manhã. O motivo de sua ansiedade era válido, já que ia ser a primeira vez que o piloto iria disputar uma corrida no autódromo de Jacarepaguá (RJ). Apesar da estreia ter sido em “casa”, ele não queria saber de ficar em sua zona de conforto.

Neste dia com o carro de número 12, ele infelizmente não obteve sucesso devido a um problema elétrico no carro e abandonou a pista na 48ª volta. Após a decepção da sua estreia na escuderia, o piloto aprimorou suas habilidades e deu um show na corrida seguinte. 

Quando Senna foi convidado para correr na Escuderia McLaren, ele nem pensou duas vezes antes de aceitar. O fato da McLaren usar o mesmo motor Honda da Lotus, facilitou a decisão positiva de Senna. Naquela época, os melhores carros da categoria eram a McLaren e o carro da Williams, e a Ferrari vinha um pouco atrás. 

No Grande Prêmio do Japão, ainda no ano de 1988, o piloto fez história ao marcar todos os pontos necessários para ter o título de Campeão Mundial de Fórmula 1 daquele ano, antes da última corrida da temporada.

Ayrton Senna será sempre considerado o herói da nação brasileira. Esperamos que gostem de saber os mínimos detalhes, pois aqui na Sid Special Paint dividimos a trajetória do Senna em 5 partes, super completas e de trazer emoções à tona! 

Rubens Barrichello

Nascido em São Paulo, no dia 23 de maio de 1972, Rubens Gonçalves Barrichello teve uma ótima trajetória. 

Rubinho conquistou cinco títulos brasileiros de kart, sendo considerado imbatível na época e também fez um ano de F-Ford no Brasil, em 1989.

Rubinho Barrichello chegou à Fórmula 1 em 1993, pela Jordan. Depois de um teste em Silverstone, o piloto brasileiro assinou contrato com a equipe irlandesa. 

Não conseguiu “chegar, chegando” no Grande Prêmio da África do Sul, em Kyalami, pois na sua primeira corrida, largou em 14º, e não terminou a prova, já que sua Jordan quebrou. 

Os primeiros pontos de Rubens Barrichello na Fórmula 1 vieram em 4 de outubro de 1993, no Grande Prêmio do Japão, com a quinta colocação. 

Mas e aí, o que ele fez depois? A resposta é: buscou o primeiro pódio!

Já na sua segunda temporada na Fórmula 1, Barrichello passou a lutar pelas primeiras posições. 

E então, na segunda prova de 1994, no Grande Prêmio do Pacífico em Aida, no dia 17 de abril de 1994, o piloto brasileiro chegou em terceiro. O primeiro pódio de Rubens Barrichello só foi alcançado em sua 18ª corrida na Fórmula 1.

Não tenha dúvidas de que Rubinho fez o que foi possível e impossível para marcar história no automobilismo mundial. E é por essa razão que ele não pode ficar de fora dessa lista! 

Bônus: Títulos dos campeões na categoria

Emerson Fittipaldi

  1. Grande Prêmio dos Estados Unidos de 1970 
  2. Grande Prêmio da Espanha de 1972 
  3. Grande Prêmio da Bélgica de 1972 
  4. Grande Prêmio da Grã-Bretanha de 1972 
  5. Grande Prêmio da Áustria de 1972 
  6. Grande Prêmio da Itália de 1972 
  7. Grande Prêmio da Argentina de 1973 
  8. Grande Prêmio do Brasil de 1973 
  9. Grande Prêmio da Espanha de 1973 
  10. Grande Prêmio do Brasil de 1974 
  11. Grande Prêmio da Bélgica de 1974 
  12. Grande Prêmio do Canadá de 1974 
  13. Grande Prêmio da Argentina de 1975 
  14. Grande Prêmio da Grã-Bretanha de 1975 

José Carlos Pace

  1. Grande Prêmio do Brasil de 1975 

Nelson Piquet

  1. Grande Prêmio de Las Vegas de 1981
  2. Grande Prêmio da África do Sul de 1983
  3. Grande Prêmio de Suzuka de 1987

Ayrton Senna

  1. Grande Prêmio de Portugal de 1985
  2. Grande Prêmio da Bélgica de 1985
  3. Grande Prêmio da Espanha de 1986 
  4. Grande Prêmio dos EUA de 1986 
  5. Grande Prêmio de Mônaco de 1987 
  6. Grande Prêmio dos EUA de 1987 
  7. Grande Prêmio de San Marino de 1988 
  8. Grande Prêmio do Canadá de 1988 
  9. Grande Prêmio dos EUA de 1988 
  10. Grande Prêmio da Inglaterra de 1988 
  11. Grande Prêmio da Alemanha de 1988 
  12. Grande Prêmio da Hungria de 1988 
  13. Grande Prêmio da Bélgica de 1988 
  14. Grande Prêmio do Japão de 1988 
  15. Grande Prêmio de San Marino de 1989 
  16. Grande Prêmio de Mônaco de 1989 
  17. Grande Prêmio do México de 1989 
  18. Grande Prêmio da Alemanha de 1989 
  19. Grande Prêmio da Bélgica de 1989 
  20. Grande Prêmio da Espanha de 1989 
  21. Grande Prêmio dos EUA de 1990
  22. Grande Prêmio de Mônaco de 1990
  23. Grande Prêmio do Canadá de 1990
  24. Grande Prêmio da Alemanha de 1990
  25. Grande Prêmio da Bélgica de 1990
  26. Grande Prêmio da Itália de 1990
  27. Grande Prêmio dos EUA de 1991 
  28. Grande Prêmio do Brasil de 1991 
  29. Grande Prêmio de San Marino de 1991 
  30. Grande Prêmio de Mônaco de 1991 
  31. Grande Prêmio da Hungria de 1991 
  32. Grande Prêmio da Bélgica de 1991 
  33. Grande Prêmio da Austrália de 1991 
  34. Grande Prêmio de Mônaco de 1992
  35. Grande Prêmio da Hungria de 1992
  36. Grande Prêmio da Itália de 1992
  37. Grande Prêmio do Brasil de 1993 
  38. Grande Prêmio da Europa de 1993 
  39. Grande Prêmio de Mônaco de 1993 
  40. Grande Prêmio do Japão de 1993 
  41. Grande Prêmio da Austrália de 1993

Rubens Barrichello

Infelizmente o Rubinho não alcançou nenhum título, mas ele teve muitas conquistas:

  • Melhor Novato Indy-500 em 2012
  • 8 vezes vencedor do Capacete de Ouro: 1999, 2000, 2001, 2002, 2004, 2005, 2007, 2009 e 2014
  • Piloto Brasileiro da Década em 2007
  • Campeão Sul-americano de Kart  em 2015
  • Stock Car Brasil em 2014
  • Fórmula Opel em 1990
  • Fórmula 3 Inglesa em 1991
  • 500 Milhas da Granja Viana em 1998, 2000, 2001, 2002, 2004, 2005, 2007 e 2008
  • Pentacampeão Brasileiro de Kart
  • Pentacampeão Paulista de Kart
  • Vencedor do Desafio das Estrelas de Kart em 2008

Gostou de saber mais sobre os nossos pilotos brasileiros que marcaram a história da Fórmula 1? Conta pra gente! 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *