Hoje falaremos de um grande amigo da Sid Special Paint: Rubens Barrichello! Já se prepara que lá vem história…

Rubinho passou 19 anos na Fórmula 1 e foi vice-campeão em duas temporadas. Como principal companheiro de Michael Schumacher, um dos maiores campeões de F1 de todos os tempos. 

Entretanto, o paulista também é campeão da Stock Car e continua fazendo história no automobilismo! 

Quer saber mais sobre a história de Rubens Barrichello? Então continue conosco!

Quem é Rubens Barrichello?

Rubens Barrichello nasceu em São Paulo no dia 23 de maio de 1972. É o piloto mais automobilístico da história da Fórmula 1, com 326 GPs. 

Após 19 anos na Fórmula 1, Barrichello assumiu um cargo na Fórmula Indy. Ele também foi o campeão 2014 da Stock Car.

Entretanto, como todos sabemos, a trajetória de Rubinho começou com o kart. Antes de deixar a Europa aos 17 anos, ele ficou em terceiro lugar no Campeonato de Fórmula Ford.

Rubinho Barrichello e o campeonato europeu

Em 1990, Barrichello foi ao continente europeu para realizar seu sonho de entrar na Fórmula 1. 

No seu primeiro ano no exterior, ele ganhou o Opel Champion do Draco Fórmula European Championship.

Em 1991, Rubens Barrichello deixou uma nova categoria e conquistou novamente o campeonato. Ele venceu o Campeonato Britânico de Fórmula 3 com a equipe West Surrey.

Após duas vitórias no campeonato, a equipe IL Barone Rampante foi convidada a participar do Campeonato Europeu de Fórmula 3000 de 1992. 

O terceiro colocado na categoria foi convidado a participar da Fórmula 1 de 1993.

Quando e como Rubens Barrichello começou na Fórmula 1?

Rubens Barrichello foi contratado pela Jordan como um carro de Fórmula 1 em 1993. 

Após os testes em Silverstone, o piloto brasileiro assinou contrato com a equipe irlandesa e fez sua primeira grande corrida no Grande Prêmio da África do Sul em Kyalami, no dia 14 de março daquele ano.

Os primeiros pontos na F1 de Barrichello

Em sua primeira partida, Barrichello largou na 14ª parada, mas não conseguiu finalizar devido ao wrestling de Jordan. 

Depois de várias corridas de Grand Prix, ele marcou pela primeira vez na F1 – neste período, apenas os 6 primeiros pontuaram.

Rubens Barrichello no primeiro ponto da Fórmula 1 foi o quinto lugar no Grande Prêmio do Japão em 4 de outubro de 1993. O próximo passo é chegar ao primeiro pódio.

No GP de San Marino, na Itália, o piloto brasileiro sofreu traumatismo craniano, fratura do braço direito, fortes contusões na coluna e do lado direito do tórax, fratura do nariz e contusões na face e na boca, depois de um grave acidente no início da 1ª classificação.

Barrichello relatou que entrou rápido demais em uma variante baixa, tocou a zebra de forma que ela o arremessou para a barreira de pneus. Sua Jordan capotou duas vezes no acidente.

Primeira Pole Position de Barrichello

Depois de se recuperar de um grave acidente em San Marino e perder seu grande ídolo, Ayrton Senna, Rubens Barrichello conquistou a primeira pole position no Grande Prêmio da Bélgica em Spa-Francorchamps. 

Ele conquistou a sexta colocação no Campeonato Mundial de Automóveis de 1994 com 19 pontos.

Em 1995, Rubinho alcançou a melhor posição até então, ocupando o segundo lugar no Grande Prêmio do Canadá. No entanto, ele não completou 9 corridas naquela temporada, classificando-se apenas em 11 no mundo dos pilotos.

Em 1996, Barrichello ficou em oitavo lugar na Liga dos Campeões, ele disse adeus a Jordan. Naquele ano, seus melhores resultados ficaram em quarto lugar nos GPs da Argentina e da Grã-Bretanha.

O desempenho de Stewart melhorou em 1999. Em San Marino, França e Europa o GP conquistou 3 pódios.

Rubens Barrichello continuou na pole position na França e liderou o Grande Prêmio do Brasil com 23 voltas. Ele terminou em sétimo lugar no Campeonato Mundial com 21 pontos, o que lhe rendeu uma vaga na equipe da Ferrari.

Rubens Barrichello na Ferrari

A Ferrari é a terceira equipe de Rubens Barrichello na Fórmula Um. Em 2000, foi contratado pela equipe italiana como companheiro do alemão Michael Schumacher, que venceu a Benetton duas vezes, mas ainda busca o terceiro lugar na categoria.

Barrichello conquistou sua primeira vitória na Fórmula 1 durante sua temporada de estreia na Ferrari.

Em 31 de julho de 2000, devido a uma falha elétrica na corrida classificatória, ele largou para a 18ª colocação, participou da corrida de recuperação e venceu o Grande Prêmio da Alemanha.

Em 2000, Rubinho ainda ocupava o 2º lugar em 4 jogos e 3º nos outros 4. Ganhou o 4º no Mundial, seu melhor recorde até então.

Na temporada seguinte, Barrichello não ganhou nenhum Grand Prix, mas ficou em terceiro lugar no campeonato.

Dois segundos classificados e excelente “Hoje não”

As melhores temporadas do piloto brasileiro contra a Ferrari foram 2002 e 2004, quando foi vice-campeão, atrás do companheiro de equipe Michael Schumacher. Em 2004, Rubinho ocupava o quarto lugar no ranking mundial. 

Nesses três anos, Rubens Barrichello venceu 8 Grand Prix.

No entanto, durante o Grande Prêmio da Áustria de 2002, ocorreu um dos momentos mais marcantes da carreira de Rubens Barrichello na Ferrari. 

O piloto brasileiro entregou a posição da corrida para Schumacher conforme solicitado pela equipe e trouxe a corrida para a linha de chegada.

A série é marcada pela narrativa de Cléber Machado, e ele espera que o brasileiro conquiste o primeiro lugar.

O narrador da Globo disse: “Hoje não, hoje não … hoje sim.” Depois que Barrichello liderou todos os treinos e conquistou a pole position naquele fim de semana, ele lamentou a ultrapassagem de Michael Schumacher.

Relembre este capítulo aqui: 

Rubinho também defendeu a Ferrari em 2005, quando ocupava o 8º lugar no ranking mundial dos pilotos.

Quando Rubens Barrichello deixou a F1?

Depois de trabalhar na Ferrari por 6 anos, Rubens Barrichello ingressou na Honda em 2006. 

Embora tenha corrido pelo time japonês por três anos, durante este período, ele subiu ao pódio apenas uma vez e terminou em terceiro no Grande Prêmio da Inglaterra em 2008.

Em 2009, a Honda passou por uma grave crise na Fórmula 1 e foi adquirida pela Ross Brawn. A equipe com motores Mercedes ganhou o nome de Brawn, o que o surpreendeu e se firmou como o melhor candidato ao campeão de F1.

Em seguida, Barrichello disputou o primeiro lugar novamente. Ele ganhou o Grande Prêmio da Europa e Itália. 

No entanto, ele não conseguiu derrotar o companheiro de equipe Jenson Button, que estava à frente do alemão Sebastian Vettel e do piloto brasileiro.

Rubens Barrichello está gravado na Fórmula 1

Embora nunca tenha conquistado um campeonato, Rubens Barrichello ainda mantém o recorde de mais carros na história da Fórmula 1, com 326 GPs.

  • Temporadas: 19 (1993 a 2011)
  • GPs: 326 (322 largados)
  • Vitórias: 11
  • Pódios: 68
  • Pontos: 658
  • Pole position: 14

Gostou de saber mais sobre o Rubinho? Conta para a gente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *