Desde cedo, Ayrton Senna já demonstrava uma grande paixão por velocidade. Começou a participar dos campeonatos do Kart ainda adolescente, e desde então ele nunca mais parou. 

Senna ganhou diversos títulos e campeonatos mundiais, sempre com o seu marcante capacete na cabeça. 

Neste artigo, iremos contar a história de um capacete especial: o capacete amarelo fluorescente que o acompanhou em sua primeira vitória na Fórmula 1, no Grande Prêmio de Estoril – Portugal 1985. 

Preparem os corações para esta viagem ao passado. Vamos lá?!

O primeiro capacete de Senna

O primeiro capacete de um piloto é sempre muito especial, e este era de um modelo bem simples: cor laranja e sem muitos detalhes, já que a prática de personalização não era comum naquela época. 

Por se tratar de uma personalização bem caseira, não era muito decorado, havia somente algumas marcas de patrocínio e três listras brancas, provavelmente feitas com fitas.

Mesmo não sendo produzido por Sid Mosca, o capacete foi um sucesso na época!

(Foto: Ayrton Senna)

O capacete da Lotus de Ayrton Senna

A partir de agora, você já vai ver um capacete com o design que conhecemos, desenhada com muito carinho especialmente por Sid Mosca. 

Ao decorrer do tempo, não mudou muita coisa, a não ser alguns detalhes como a logo dos patrocinadores. 

ayrton senna com seu capacete amarelo correndo na lotus

De vez em quando, alguns detalhes também eram adaptados de acordo com a necessidade do grande piloto, mas nada que mudasse completamente o design, a identidade e arte do capacete de Senna. 

Depois que Ayrton Senna foi para a equipe da Lotus, todos ficaram eufóricos por querer ver Ayrton correndo no carro icônico que só a Lotus tinha. 

O carro que Senna corria era incrível: tinha um motor Renault com 1200 cavalos! 

Um carro incrível como esse, com certeza merecia um capacete com um design ainda mais especial… 

(Ayrton Senna e Lotus, 1986)

Quando Senna terminou de acertar os últimos detalhes burocráticos com a equipe da Lotus, logo em seguida foi procurar Sid Mosca. 

Nesta época, o ateliê estava fazendo alguns testes com cores florescentes, e a primeira cobaia foi o capacete de Christian Fittipaldi (com a permissão do piloto, claro).

O trabalho para achar a cor perfeita…

As gambiarras para que o capacete de Christian ficasse perfeito eram muitas. O material usado neste tom de amarelo era nacional, mas ele não se adaptava ao verniz de jeito nenhum. Era uma combinação realmente muito difícil de trabalhar. 

Era necessário comprar latas e mais latas de sprays, e o esquema que Alan fazia funcionava da seguinte forma: ele furava as latas e deixava sair toda a pressão de ar de dentro delas, depois cortava as latas e tirava a tinta para por dentro do recipiente que encaixava no revólver de pintura.

O trabalho foi desafiador, mas depois de muitos testes e de estimular muito a criatividade, o capacete ficou perfeito!

(Christian Fittipaldi e seu capacete amarelo fluorescente)

Depois desse experimento, surgiu o capacete amarelo fluorescente de Ayrton Senna! 

Ele nem precisou dar muita atenção na hora que Alan e Sid explicaram suas idéias para trabalhar com um novo amarelo, pois Ayrton sempre teve muita confiança neles e em toda a equipe.

O resultado foi extraordinário, uma vez que o carro que Senna corria era preto, então a cor criou um maior destaque nas pistas.

(Ayrton Senna na Lotus em 1985)

Inclusive, a primeira vitória de Senna na Fórmula 1 foi no GP de Portugal no ano de 1985, e lá estava ele com o capacete amarelo fluorescente em meio a uma tempestade cinza fortíssima, onde ele conseguiu brilhar ainda mais na pista!

(Senna em primeiro lugar, Michele Alboreto 2° lugar, e Patrick Tambay em 3° lugar)

Confira o vídeo no momento em que Galvão Bueno anuncia a vitória histórica de Ayrton Senna:

Este momento gerou uma satisfação enorme para todos da equipe da Sid Special Paint. Sid e Alan Mosca ficaram emocionados ao saber que fizeram parte daquele momento histórico. 

Depois da vitória de Senna com o capacete amarelo fluorescente, a empresa que fazia as tintas na época começou a produzir a base da tinta especialmente para o ateliê <3

Depois de muita pesquisa, estudo, testes e desafios, ver um grande trabalho como este sendo desenvolvido desde 1983, e em 1985 ganhar o Grande Prêmio, simbolizou uma conquista e uma realização imensurável.

Alan nos conta na íntegra mais essa história incrível, se liga só:

Mais uma história da saga contada por Alan Mosca. E você? Já sabia da história desses capacetes? Conte para nós aqui nos comentários!

Até a próxima! 😉

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *