A curva de Tamburello foi uma das mais emblemáticas e marcantes curvas de toda a história do automobilismo, sendo reconhecida hoje por ser a curva mais perigosa de todos os tempos.

Localizada no Autódromo Enzo e Dino Ferrari, em Ímola, na Itália, a curva era cercada por um riacho, fazendo com que a área de escape fosse muito pequena para os incríveis 320 km/h facilmente atingidos naquela parte da pista – velocidade exorbitante até mesmo para os dias de hoje, mesmo com os avanços na tecnologia, consequentemente muito mais perigosa em 1994, quando Ayrton Senna faleceu ao pilotar no percurso.  

Curva Tamburello

A última curva da carreira (e da vida) de Ayrton Senna

O dia 1° de maio de 1994 mudaria para sempre a história do automobilismo. Há mais de 27 anos, o ídolo brasileiro Ayrton Senna, batia no que seria sua última curva.

A corrida de Imola, pelo  GP de San Marino, foi declarada pelo próprio piloto como a corrida de início da temporada, já que ele não havia conseguido completar as anteriores. Mesmo conquistando a pole, a sexta-feira (29 de abril) não terminou bem. Ao perder o controle do seu Jordan nº 14, o piloto brasileiro Rubens Barrichello passou por cima de uma zebra e voou da pista, batendo violentamente contra uma barreira de pneus.

Senna visitou seu amigo no hospital e ficou convencido de que as normas de segurança deveriam ser revisadas antes da prova. E não para por ai: mais um acidente aconteceu no sábado, desta vez muito mais grave, durante os treinos livres o austríaco Roland Ratzenberger, que bateu violentamente na curva Villeneuve num acidente que começou a se formar na fatídica curva Tamburello, quando a asa dianteira de seu carro se soltou fazendo com que ele perdesse o controle do veículo. Mesmo com a agilidade da equipe que conseguiu levar o piloto para o hospital, ele não resistiu e faleceu 8 minutos depois.

Ayrton Senna

Na abertura da sétima volta, após a passagem do safety car, Senna rapidamente fez a melhor volta da corrida. Neste momento, Ayrton iniciava sua última corrida na F1 e da vida. Tudo corria bem, até entrar na curva Tamburello, onde ele perdeu o controle do carro e acabou se chocando com o muro de concreto.

Senna se chocou ao muro a mais de 200 km/h, velocidade que a poucos instantes atrás ultrapassava os 300 km/h. O mundo assistia estagnado as cenas pela televisão. Entusiastas até chegaram a ter esperança quando o piloto moveu levemente a cabeça ainda dentro do carro, porém isso era apenas um reflexo dos graves danos sofridos.

Ainda com os estilhaços espalhados na curva TamburelloAyrton recebeu os primeiros socorros da própria Comissão Médica e de Segurança da Fórmula 1 ainda ao lado dos destroços antes de ser levado de helicóptero para o Hospital Maggiore de Bolonha onde, poucas horas depois, foi declarado morto.

Ultima curva Ayrton

O legado positivo no mundo das corridas

A morte da dupla protagonizada pelo ídolo brasileiro e pelo austríaco foi a primeira durante uma atividade da F1 em oito anos. Nos anos 1970, dez competidores perderam a vida durante uma disputa, enquanto nos anos 1980, houve uma redução para “apenas” quatro.

Com diversos acidentes envolvendo os pilotos e uma grande pressão da mídia, Max Mosley, o então presidente da FIA (Federação Internacional de Automobilismo), foi um dos grandes responsáveis pelas mudanças, não só na curva ou na pista, mas no esporte como um todo.

A criação do Comitê Especializado em Conselhos de Segurança foi uma das primeiras ações tomadas para a segurança dos clientes, seguidas pela obrigatoriedade do apoio para cabeça e pescoço, reduzindo o impacto na coluna vertebral dos pilotos, e a retomada do GP Drivers Association (Associação de Pilotos de Corrida), em que os representantes buscaram mais mudanças como alterações nos desenhos da pista e outros pontos de atenção que os preocupam durante as competições.

O percurso Autódromo Enzo e Dino Ferrari foi alterado drasticamente após a morte de Senna e de Ratzenberger. O percurso apresenta uma alta complexidade e desafio, porém nos locais das curvas de Tamburello e Villeneuve, viraram uma chicane (variantes mais lentas).

Curva Imola

Outros graves acidentes na Curva Tamburello

Em 1987, Nelson Piquet foi eliminado da corrida depois de um acidente na curva Tamburello. Um pneu da sua Williams FW11B estourou, causando um violento impacto contra o muro. Ainda candidato ao título, o brasileiro relatou ter sofrido apenas uma lesão no tornozelo, porém após ser levado ao hospital foi constatado um traumatismo craniano e uma entorse no joelho esquerdo, o que gerou seu afastamento da corrida.

Anos depois do acidente, Piquet revelou que sentia dores de cabeça, dificuldade para dormir, falhas na visão em profundidade e, às vezes, visão dupla como sequelas da batida na curva em 1987.

Curva Tamburello

No ano de 1989 o austríaco Gerhard Berger, após ter problemas com a asa dianteira sua Ferrari, passou direto pela curva Tamburello. O carro estava com o tanque de combustível quase cheio, e ao se chocar com o muro, protagonizou uma das cenas mais chocantes da F1: o combustível vazou até o incêndio começar, porém graças a um excelente trabalho dos bombeiros da pista, o incêndio foi controlado após incríveis 15 segundos, junto a eficiência da equipe e o material de proteção, o piloto não sofreu danos graves. 

No ano de 2021, um grave acidente aconteceu na volta 31 do GP, quando Russell acionou a asa móvel na reta dos boxes para tentar ultrapassar Bottas por fora, entretanto com uma leve movimentação da Mercedes, pilotada por Valtteri Bottas, George Russell tocou levemente a grama molhada, o que foi o suficiente para rodar e acontecer o choque, ambos só foram parar na barreira de proteção. Com a batida, o britânico ficou bem irritado e foi tirar satisfação com Bottas pelo ocorrido. Após o incidente na disputa pelo nono lugar na curva, a corrida teve de ser interrompida devido a alta quantidade de detritos no percurso.

Acidente Valtteri Bottas e George Russell

Sem dúvidas as mortes no GP de San Marino em 1994 marcaram e muito a história da Fórmula 1, em especial para o povo brasileiro que perdeu um grande, se não o maior, ídolo do esporte. Porém, por mais que pese, esse fato foi responsável por salvar a vida de diversos outros pilotos posteriormente.

Quer conhecer mais sobre as grandes conquistas do Ayrton Senna? Então fique por dentro da história do capacete de Ayrton Senna no GP de Donington Park.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *