Algumas corridas dos calendários das principais categorias do esporte a motor carregam grande valor – E este é o caso da Tríplice Coroa do Automobilismo. São provas mundialmente conhecidas e que são objetivo para muitos pilotos conseguirem a glória do triunfo.

A importância é tanta que três formam a Tríplice Coroa do Automobilismo. Apesar de ser um título não oficial, torna-se objetivo para competidores, já que são três das mais prestigiadas provas do esporte.

Continue com a gente, aqueça os motores e fique por dentro do assunto!

O que é a Tríplice Coroa do Automobilismo

A Tríplice Coroa é um título extra-oficial concedido a desportistas (ou clubes) que conquistaram os três principais eventos de seu esporte. A Tríplice Coroa do Automobilismo é um título não oficial dado a um piloto que conquista as três mais prestigiadas corridas do automobilismo mundial ao longo de sua carreira, que são: o Grande Prêmio de Mônaco, as 500 Milhas de Indianápolis e as 24 Horas de Le Mans.

O termo se originou na Inglaterra em 1853 para designar as vitórias do cavalo West Australian e seu jóquei Frank Butler nos três principais torneios de hipismo do país na época: o 2.000 Guineas Stakes, o Derby Stakes e o St. Leger Stakes. Apesar de ter sido criado naquele ano, o termo só se popularizou no final do século e é usado até hoje para designar estas três provas do hipismo britânico.

Não se sabe ao certo quando a Tríplice Coroa do Automobilismo foi criada, mas tudo indica que tenha sido nos anos 1950. O fato de não ser um título oficial — portanto sem troféu, certificação, órgão regulador e etc — dificulta o rastreio de sua origem. 

A partir dos anos 1980, quando a Fórmula 1 começou a ser disputada exclusivamente por pilotos de equipes inscritas no campeonato, as chances de um piloto da F1 ganhar as três provas foi drasticamente reduzida, uma vez que a Formula One Management (FOM) não era muito afeita à concorrência com outras categorias de monopostos como a CART e a Indy, e por isso a Tríplice Coroa acabou esquecida por quase quarenta anos.

O título voltou a ser comentado brevemente nos anos 2000, quando Jacques Villeneuve anunciou que iria disputar as 24 Horas de Le Mans pela Peugeot. O canadense já havia vencido as 500 Milhas de Indianápolis e tinha grandes chances de ganhar em La Sarthe, mas apesar de ter se sagrado campeão mundial de F1, nunca venceu o GP de Mônaco. Foi quando a imprensa desenterrou uma antiga versão “alternativa” (e menos considerada) da Tríplice Coroa: as 24 Horas de Le Mans, a Indy 500 e o Mundial Fórmula 1.

Quais são os principais ganhadores?

Até hoje, apenas um pilotos conseguiram esta façanha: Graham Hill.

Depois de Hill, somente Jacques Villeneuve teve sua chance, mas não venceu em Mônaco nem em Mans. 

A direção que a Fórmula 1 tomou nos últimos anos, com poucos vencedores, também limita o número de candidatos pela vitória no GP de Mônaco — somente quem já ganhou uma vez e ainda está na ativa ainda tem chances. 

É por isso que atualmente somente dois pilotos estão muito próximos de conseguir a Tríplice Coroa: Fernando Alonso e Juan Pablo Montoya.

Tríplice Coroa da Fórmula Indy

A Tríplice Coroa da Fórmula Indy é dada ao piloto que conseguir ganhar, num mesmo ano, as 3 mais duras provas de 500 milhas do calendário, que são: 500 Milhas de Indianápolis, 500 Milhas de Pocono, e 500 Milhas de Ontario. 

Al Unser (1978) é o único piloto a conseguir este título. Em 1980, a pista de Ontário foi fechada, e então substituída por Michigan-500. Porém, com este novo formato, ninguém ainda conseguiu conquistá-la.

Tríplice Coroa da Endurance Racing

A. J. Foyt, quase ganhador da Tríplice Coroa do Automobilismo, e vencedor da Tríplice Coroa da Endurance Racing. 

A Tríplice Coroa da Endurance Racing, que é dada ao piloto que conseguir ganhar, num mesmo ano, as 3 mais duras provas de Endurance do calendário que são: 24 Horas de Le Mans, 24 Horas de Daytona e 12 Horas de Sebring. Este título já foi conquistado por 10 pilotos, a saber: A. J. Foyt, Hans Herrmann, Jackie Oliver, Jacky Ickx, Al Holbert, Hurley Haywood, Mauro Baldi, Andy Wallace, Marco Werner e Timo Bernhard.

Algumas Curiosidades

  • Em 1967, A. J. Foyt venceu as 500 Milhas de Indianápolis e as 24 Horas de Le Mans num intervalo de apenas 2 semanas entre as provas.
  • O escocês Jim Clark é, até hoje, o único piloto a vencer as 500 Milhas de Indianápolis e ser campeão mundial de F1 no mesmo ano.[9] Foi 3° lugar geral em Le Mans no ano de 1960 sendo que nunca venceu o grande prêmio de Mônaco.
  • O americano Phil Hill é, até hoje, o único piloto a vencer as 24 horas de Le Mans e ser campeão mundial de F1 no mesmo ano.
  • Juan Manuel Fangio esteve perto de vencer a prova de Le Mans em 1955, fato que não aconteceu por abandonar voluntariamente a prova após o Desastre de Le Mans em 1955, um acidente que matou 84 pessoas, entre eles o piloto Pierre Levegh. Fangio venceu o Grande Prêmio de Mônaco e o campeonato mundial e esteve perto de competir nas 500 Milhas de Indianápolis de 1958.
  • Conquistas simultâneas de compatriotas no GP de Mônaco e na Indy 500 são raríssimas. Apenas em 5 oportunidades pilotos de uma mesma nacionalidade venceram as duas provas no mesmo ano.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.